Entrevista

EntrevistaChapa nº 3 – União para Fazer Acontecer
Marcos César Alves Silva e Carlos Alberto de Souza Barbosa

1. Fale sobre sua vida profissional nos Correios.
Marcos César é Analista de Correios Sênior e Carlos Barbosa é Agente de Correios – Carteiro. Ambos não são políticos nem líderes sindicais; são trabalhadores que colocam sua experiência à disposição dos colegas, para representá-los no Conselho. Marcos César cursou a ESAP, de 1979 a 1981, depois do que atuou em diversas áreas da empresa, em DRs e na AC – administração, operações e comercial – em posições de liderança como Chefia de Seção, Gerência Regional, Chefe de Departamento e Assessoria Executiva da Área Comercial. Atualmente, é pesquisador no Departamento de Inovação Empresarial, em Brasília/DF e integra o Comitê de Qualidade, tendo também integrado equipes que atuaram no desenvolvimento da Lei nº 12.490/11, do novo estatuto, das Portarias 566 (universalização do atendimento e da entrega) e 567 (entrega postal) e do atual Planejamento Estratégico. Barbosa é formado em Administração de Empresas pela Faculdade Estácio de Sá e pós-graduado em Administração da Qualidade. Ingressou na ECT em 1986 e exerceu diversas funções, como Supervisor Operações de CDD, Gerente de CDD. Atualmente é Gerente de Atividades Externas de UT Tipo IV, tendo coordenado projetos importantes na DR/RJ, como o do SD e do 1º e 2º ENEM.

2. Por que você quer ser o representante dos empregados no Conselho de Administração?

Queremos representar o conjunto dos trabalhadores da Empresa e não apenas uma parte deles. Isso implica conhecer desde as atividades operacionais até as atividades estratégicas e a chapa UNIÃO PARA FAZER ACONTECER possui integrantes com esse conhecimento. As propostas da chapa são: melhoria das condições de trabalho; profissionalização dos empregados; mais investimentos; acompanhamento constante da gestão da Diretoria; mais inovação com novas tecnologias para expansão dos negócios e canal permanente de contato entre os empregados e o conselheiro. Assim, esperamos levar os demais membros do Conselho a decidirem levando em conta a cultura, os valores e as expectativas dos empregados. Em nosso blog, em http://parafazeracontecer.com.br, detalhamos nossa proposta de atuação.

3. Como você vê o momento atual da empresa e as suas perspectivas de futuro?
Vemos a Empresa num momento rico de oportunidades, abertas com o desenvolvimento significativo de alguns segmentos de negócios, como os ligados ao comércio eletrônico, e a edição de legislação favorável ao desenvolvimento da ECT – a Lei nº 12.490/11. Por outro lado, a perspectiva de substituição da comunicação física pela eletrônica traz um grande desafio, já que o maior negócio da empresa se concentra ainda nos serviços dessa família de negócios – FAC, carta e mala direta. Será necessário inovar e diversificar os negócios para manter ou até melhorar os atuais resultados econômicos da Empresa. E, no que se refere a infraestrutura, temos muito que fazer em termos de ampliação e de modernização de nossos prédios e equipamentos de tratamento automático, para colocar a empresa em pé de igualdade com os grandes operadores postais do mundo, que estão fazendo isso sistematicamente há muito tempo. No Conselho cobraremos velocidade nas decisões e ações da ECT. É preciso, de fato, FAZER ACONTECER! E rápido!

4. Dentre as decisões do Conselho em 2012, qual você achou mais relevante e por quê?
Em 2012, a decisão que nos pareceu mais relevante, pelo impacto positivo que trará para as atividades operacionais, foi a aprovação prévia das ações relacionadas à atualização tecnológica e expansão da automação de triagem, envolvendo dezenas de máquinas e equipamentos. Isso vai facilitar muito os trabalhos de nossos colegas em diversas unidades operacionais.

Deixar comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *